domingo, 5 de janeiro de 2014

Novo Ano


Uma vez, em uma aula perfeitamente normal durante o ensino fundamental. Minha professora de matemática disse a seguinte frase: "a ordem dos fatores não altera o produto" . Achei meio engraçada a tal da frase e a partir do momento em que a escutei, comecei a analisar todas as situações em que ela se aplicava. Não só na matemática, como também na vida cotidiana.
Estamos tão acostumados a ouvir "feliz ano novo" que estranhamos quando alguém fala novo ano.  Bem como estranhamos coisas novas, que não estão no nosso dia dia. Nossa mente tem um sério problema, ela costuma rejeitar coisas novas, achar que o diferente é sinônimo de errado.
Seguindo essa linha de pensamento conclui que não devemos fazer promessas, pois elas remetem a algo novo. E coisas novas precisam de tempo para serem absorvidas.  Esse tempo pode ser maior que um ano e assim por mais um réveillon não teremos cumprido nossas promessas, mergulhando mais uma vez na decepção consigo mesmo.
A solução seriam as metas. Elas não são tao radicais quanto as promessas, tornando se assim, mais fáceis de serem alcançadas e podem ser feitas o ano inteiro. Assim, quando chegar ao final de mais um ano, não haverá frustrações, pois ao menos uma meta foi cumprida.
Enfim, acho que o tempo livre está afetando meu cérebro. 
Espero que todos os pedidos feitos se realizem, que este seja um ano de muito amor, conquistas, sabedoria, paz e acima de tudo: evolução. Que a positividade domine e que tudo dê certo.
                               Apesar do atraso.... Um feliz e próspero 2014!

Nenhum comentário:

Postar um comentário