segunda-feira, 24 de março de 2014

Nova Perspectiva.



Ultimamente, abrir mão de pensamentos cotidianos parece um grande desperdício. O conteúdo, as frases engraçadas e  as reflexões contidas neles, são preciosas demais para se deixar levar pelo sopro do esquecimento.
Tenho refletido e constatei que uma nova visão se instalou em minha vida. Coisas, que antes eram tão engraçadas e emocionantes, agora se tornaram fúteis e sem futuro. Amigos, antes tão próximos, se tornaram complicados de manter por perto. As brigas pela até então desconhecida, discórdia, se tornaram frequentes. Pessoas que pareciam extremamente racionais e sérias, foram descobertas como alegres, divertidas e ainda por cima, tem muito conhecimento a oferecer.
Questões que não me incomodavam e passavam despercebidas , agora me deixam transtornada. Coisas, pelas quais eu considerava desnecessário lutar, se tornaram essenciais em minha vida. Comandos que antes eram simplesmente obedecidos, são questionados. Não vejo razão para seguir determinadas ordens. Ao mesmo tempo, respeito e defendo outras que considero essenciais para a sociedade.
O simples se chama complexo agora. A resposta: " porque sim" se tornou abominável. Exijo explicações, mas estou ciente de que nem tudo possui uma. Um exemplo são as reações que tenho para determinadas ações. Não entendo, logo, não sei explicar. 
Aprender como funciona o mundo, a realidade do dia dia não é tão fácil quanto parece. Sinto me como se estivesse saindo do modo 'piloto automático'. Qualquer pessoa se assusta ao perceber que as coisas mudaram. É obviamente muito mais fácil ficar na área do conforto da repetição. Essa nova perspectiva que se instalou em minha vida, as vezes me incomoda e até assusta. Em determinados momentos fico confusa e um tanto perdida em meio a tantas perguntas e contradições. Mas essa é só mais uma etapa e toda essa bagunça, faz parte!! 

sexta-feira, 14 de março de 2014

Detonada



Destruída, desmontada, desiludida, frustrada! Eu poderia passar horas e horas citando sinônimos, palavras e mais palavras sobre como me sinto agora, mas todas serão negativas. Descobri que palavras machucam, mais do que isso. Cavam um buraco bem no meio do peito. Pior ainda, quando isso é inesperado.
Hoje recebi a correção de uma redação escolar, nela havia palavras como: Que horror! E descrevia meu texto como ''um amontoado de obviedades e sem credibilidade."
Para ser bem honesta: Doeu" Na hora comecei a chorar. E por um momento, tive a vontade de jurar não escrever nunca mais, mas este é um bem mais que necessário. Também queria ter ido lá na frente e questionado a professora de todas as formas possíveis. Mas fui impedida pela tão conhecida consciência.
Sei que minha escrita não se encaixa nos padrões de universidades, não estou preparada. Sei que por mais que eu leia, ainda não é o suficiente para ter argumentos e que as vezes produzo textos com a mesma qualidade de uma criança de doze anos. Mas isso não significa que eu não esteja tentando.
Logo, minha inscrição na oficina de redação oferecida pela escola, foi feita. Se o meu talento está no ato de escrever, eu não sei mais, perdi um pouco da minha confiança, a que eu havia conquistado a tanto custo. A mesma que me levou a finalmente criar um blog. A unica coisa que eu posso garantir é: eu não vou desistir!

domingo, 9 de março de 2014

Palavras poderosas

“Mude suas palavras, mude o mundo” Essa é a frase marcante que o autor Nelson Ferrão traz em um texto de sua coluna semanal. Esta, nos deixa pensando e refletindo. As palavras realmente tem poder?
Isso é inquestionável, especialmente para pessoas observadoras que estão atentas e cientes do que ocorre ao seu redor. Situações e situações se repetem, mostrando, afirmando veemente que sim, as palavras têm poder.  Mal entendidos são um grande exemplo. Se naquele momento as pessoas envolvidas mudassem as palavras ou as usassem com mais responsabilidade, talvez aquela discussão fosse dispensada.
Responsabilidade. Sim, foi isso mesmo o que quis dizer, afinal, se palavras tem poder, não devemos usa-las com imprudência.  Agora, encaixam-se pessoas impulsivas ou muito sinceras. Pessoas que falam sem pensar e muitas vezes, tem de conviver com a culpa dessas palavras. As vezes, aquela frase, por menor que seja, composta de duas ou três palavras, pode mudar uma vida.
No Direito por exemplo,  se um advogado não utilizar as palavras corretamente na petição inicial, pode mudar o curso do processo, ou até mesmo a sua decisão.  Se em um julgamento, as partes utilizarem as palavras erradas, podem ser mal interpretadas pelo juiz.
Logo, se sabemos que as palavras possuem tal força, porque falamos sem pensar? Ou até excluímos seu poder e simplesmente não utilizamos elas? Muitas coisas devem ser repensadas e refletidas, não só individualmente, mas em conjunto. É algo que deve ser treinado e cultivado. Encontrando assim, o equilíbrio.