terça-feira, 22 de abril de 2014

E o banho?



O banho de verdades. O banho da realidade que bate na nossa porta, dia após dia. Um choque térmico interminável. É isso e ponto final. No dicionário adolescente, altas "novis"  bombaram recentemente. A onda depressiva passou junto com a penitencia, que os dedicados católicos cumpriram.
À, a doce ressurreição de Cristo, a alegria nos inunda. A traição é esquecida e o perdão é gravado em pedra. E a humanidade, o que pensam sobre isso? Só pensam ou tomam atitudes?Nos dividimos entre: Os que sabem o significado, os que criam um significado, os que praticam e acreditam fielmente e os que simplesmente se deleitam no doce sabor do chocolate.
Eu, católica, apostólica romana, acredito fielmente que tudo tem uma moral, é claro que tenho minhas duvidas e indecisões, mas todas são apagadas pela minha fé, sólida e poderosa. Mas não estou aqui para discutir religião, nem crenças. Respeito muito todas. Mas o pensamento que me ocorreu foi, a moral de tudo, isso me motivou a criar este texto, um tanto reflexivo.
Os quarenta dias se passaram e a quantidade de ovos entulhados nos supermercados me surpreendeu. Seria uma ideia um tanto romântica, querer acreditar que o chocolate foi deixado de lado e as pessoas resolveram valorizar o real significado desta festa. Mas no fundo todos nós sabemos que a grande causa do acumulo de chocolate nas prateleiras foi o aumento da inflação sobre este doce precioso.
Este ano, de decisões, me dediquei a aprender, não só no colégio ou no técnico, mas também na igreja. Sim, uma curiosidade me inundou e quis saber cada vez mais sobre o significado da Páscoa. Porque a igreja muda suas cores nesta época? O porque da penitência? Porque justamente quarenta dias? Todas essas duvidas foram respondidas.
Meu grande problema é a maior duvida de todas elas: Será que o ser humano não tem salvação? Mesmo Jesus morrendo por nós, ainda somos capazes de crimes, assassinatos, roubos e torturas. Somos insensíveis e muitas vezes sem escrúpulos. Claro que há pessoas muito boas espalhadas por aí, de coração puro. Mas nos dias de hoje, é difícil distinguir os bons dos maus.
Já me disseram várias vezes que eu era uma tola e que Deus não existia. Apesar disso, sendo Deus ou não, acredito que todos precisamos acreditar em algo ou alguém, no final, se torna muito difícil seguir um caminho sozinho. Assim, com ou sem religião, com o chocolate ou sem, deve haver uma solução. Reeducação da sociedade? É óbvio que essa é a resposta! Em redações de vestibulares parece ser a grande solução, mas  isso não é o suficiente. Escrever no papel é fácil, difícil é, trazer para a realidade. Porque assim como qualquer coisa na vida, nada vem com manual de instruções dizendo por onde começar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário