quarta-feira, 2 de julho de 2014

Amor



Amor é um sentimento mutável, não palpável.  Tão certo como o ar que respiramos.  Não tem fim, somente se transforma. Tem poderes - de curar e destruir. Se revela na mais breve troca de olhares.
Diversas histórias são escritas, vividas e contadas, retratando, procurando um significado, um motivo, ou até mesmo uma razão para estr sentimento tão inquietante que nos conduz como uma luz em um quarto escuro. Luz essa que, em determinados momentos é tudo o que vemos.
Intenso, sabemos que assim é o amor, mas o quão? Estamos falando de quantidade, mas não em números. Afinal, até as mais curtas sílabas possuem uma pitada de amor. Invisível aos olhos, mas extravagante ao coração.  Muitos tentam disfarçar, negar, esconder, mas sempre falham. É esse o tipo de ação que resulta em grandes e tragicos romances, recheados de drama, afogados em amor.
Sempre há o porém.  Quando o amor é vivido no dia dia, as coisas complicam um pouquinho, pois não se trata do sentimento individual, mas sim do conjunto.
Duas pessoas terão que pensar como uma, uma bela sincronia, com ritmo, como uma musica. Onde o vinho do encanto seja bebido todos os dias, cada beijo seja como o primeiro e que o amor seja recíproco e muito feliz.





Um comentário:

  1. Carolina você escreve muito bem,sou leitor do Blogger dês de sua criação e cada vez me orgulho mais,a cada postagem não são só palavra digitadas mas sim amor .Beijao do seu maior leito

    ResponderExcluir